ASUS


ASUS

Referencial Teórico

Arquivo: PDF

Tamanho: 1.5 MB

PONTUAÇÃO

O sistema de pontuação adotado na Ferramenta ASUS foi desenvolvido a partir do sistema proposto pela SBTool (IISBE - INTERNATIONAL INICIATIVE FOR A SUSTAINABLE BUILT ENVIRONMENT. SBT10_Office_lowrise05Oct10_0.zip. Disponível em: <http://www.iisbe.org/ sbtool-2010>. Acesso em: 21 nov. 2010), uma ferramenta idealizada por um consórcio de países, com o objetivo de servir de base para sistemas de avaliação de edifícios após as devidas adaptações regionais. Dessa forma, o desempenho do edifício é avaliado segundo uma escala com os níveis -1, 0, +3 ou +5 (Quadro 3), embora alguns dos critérios não contemplem os níveis intermediários de desempenho. Para cada critério, esses níveis estão definidos nas denominadas “marcas de referência”.

-1 Prática negativa. Não atende ao desempenho mínimo esperado
0 Desempenho mínimo. Corresponde às normas, à legislação ou à prática convencional
+ 3 Desempenho bom.
+5 Prática de excelência.

Quadro 3: Escala de graduação de desempenho.

 

Considerando que diferentes ações refletem diferentes impactos, com graus de importância específicos relativos também ao contexto em que se aplicam, cada critério possui um peso. Dessa forma, a nota referente ao desempenho em cada critério é multiplicada pelo peso específico de cada um, e o desempenho final é o resultado da média ponderada de todos os critérios de avaliação.

Destacam-se, ainda, alguns casos específicos:

§  Além dos critérios, algumas categorias possuem pré-requisitos, avaliados apenas nas opções atende/não atende. São itens considerados fundamentais quanto ao desempenho na questão avaliada, ou seja, caso o projeto não atenda ao pré-requisito, os critérios daquela categoria ou subcategoria são automaticamente classificados em -1.

§  No caso da não existência de características particulares que sejam coerentes com as avaliações/análises realizadas por determinados critérios, considera-se a opção de “não se aplica”. Nesses casos, os pesos dos critérios não aplicáveis são distribuídos entre os demais critérios da sua categoria, de forma que a somatória final não seja alterada.

§  Em um mesmo critério, nem sempre as marcas de referência estão associadas a todos os itens expressos em recomendações, diretrizes e estratégias. Isso acontece porque nem sempre é possível mensurar ou verificar os efeitos alcançados no desempenho do edifício com a aplicação dessas estratégias. Ainda assim, essas recomendações foram mantidas, a fim de apresentar alternativas ao projetista.


© Copyright 2015 - Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras - Vitória-ES | Universidade Federal do Espírito Santo